Iniciando o uso de Arduinos

Olá a todos,

nesse post veremos como montar nosso ambiente de desenvolvimento para utilizarmos a placas controladoras que seguem o padrão Arduino. Esse padrão especifica quantos pinos a placa deve possuir, quais suas funções e o desenho físico, para que seja possível o uso de shields, que são placas com funcionalidades adicionais que poderemos utilizar em nossos projetos.

O primeiro passo é adquirir uma placa que obedeça esse padrão, existem diversos modelos, mas nesse post utilizaremos a placa do modelo R3 Uno. No final do post você encontra alguns links para adquirir uma placa.

Placa Arduino R3 Uno
Placa Arduino R3 Uno

Como pode ser notado na imagem cima existem duas linhas de pinos, uma localizada acima do símbolo do Arduino, que possuí os pinos digitais nomeados de 0 a 13, e outra linha abaixo do microcontrolador (grande chip da placa) que possui pinos de alimentação e os pinos de leitura analógicas que recebem os nomes de A0 à A5.

Note que alguns dos pinos digitais possui um símbolo ~ (ou / dependendo da placa). Esse símbolo significa que o pino oferece a capacidade de PWM. Essa capacidade permite enviar pulsos aos componentes dos nossos circuitos para controlar a intensidade de alguma resposta, como a intensidade da luz de um led ou a velocidade de um motor.

Note também que os pinos 0 e 1 são marcados com as letras RX e TX respectivamente.

Todas as funcionalidades desses pinos serão exploradas em post futuros, pois o foco desse post é somente a montagem do ambiente. Temos que fazer esse corte pois um post completo seria muito longo e exaustivo.

O segundo passo é baixar o IDE (software) de desenvolvimento. Nesse IDE é que escreveremos nossos programas, compilaremos e faremos a transferencia para a nossa placa. O download deve ser feito na sessão downloads do site https://www.arduino.cc/. Esse site é muito útil tanto para obtermos o IDE com para aprendermos sobre a linguagem de programação, pois possuí toda a documentação e é rico em exemplos.

A instalação é bem simples, tanto para Windows como para Mac OS ou Linux, basta seguir as instruções do instalador do seu ambiente. Porém podem ocorrer algum problemas de drivers no Windows e no Mac OS. Os problemas que enfrentei no Windows foram resolvidos baixando os drivers corretos da placa.

Já na última versão do Mac OS não consegui resolver pois pelo que li em outros blogs foi introduzida uma nova proteção no sistema operacional que preferi não desligar. Nesse caso montei uma máquina virtual com a versão 14.04 da distribuição Ubuntu do Linux.

Após a instalação do IDE e dos drivers, quando necessário, podemos conectar nossa placa na porta USB do nosso computador. Para a maioria das placas compatíveis com o padrão Arduino a energia da porta USB é suficiente para alimentar a placa.

Arduino conectado ao computador
Arduino conectado ao computador

Após o computador reconhecer sua placa inicie o IDE. O primeiro passo no IDE é seleciona o modelo da sua placa através do menu Tools -> Board e em seguida selecionando o nome da sua placa. Caso sua placa não apareça na lista será necessário instalar os drivers dela através do item Board Manager.

O segundo passo é selecionar a porta de comunicação que o sistema operacional designou para a placa (COMx no caso de Windows ou /dev/ttyUSBx para Linux ou Mac OS). Essa seleção é realizada no menu Tools -> Port e em seguida a porta.

Nesse ponto teremos nosso ambiente montado. Para testarmos podemos fazer o upload de um programa de exemplo. Para abrir o programa abra o menu File -> Examples -> Basics -> Blink. Será aberto um código-fonte que faz piscar um led embutido na nossa placa. A descrição desse código será assunto de um outro post.

Para compilar e transferir o programa para a placa clique no botão que possuí o desenho de uma seta para a direita. Você pode acompanhar a evolução da compilação e transferência do programa pelo espaço com fundo negro localizado na parte inferior do IDE.

Após o término da transferência o programa é iniciado e o led da placa deverá começar a piscar a cada 1 segundo.

Esse foi o conteúdo para esse post, enviem comentários caso tenham dúvidas, problemas ou sugestões. Um grande abraço a todos.

Links para adquirir sua placa padrão Arduino:

Um comentário em “Iniciando o uso de Arduinos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *